"O segredo da vida e a chave para o céu são teológicos".

.posts recentes

. Novo blog

. Introdução à Teologia Sis...

. A Doutrina da Palavra de ...

. A Doutrina de Deus (2)

. A Doutrina do Homem (3)

. As Doutrinas de Cristo e ...

. A Doutrina da aplicação d...

. A Doutrina da Igreja (6)

. A Doutrina do futuro (7)

. Você conhece o Livro?

.arquivos

. Maio 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

Sábado, 24 de Março de 2007

Introdução à Teologia Sistemática

O QUE É TEOLOGIA?

por Antonio Francisco

Qualquer estudo que expresse o que a Bíblia ensina sobre qualquer assunto, pode ser considerado teologia. É importante considerar a sistematização do estudo, daí a chamada Teologia Sistemática. É uma maneira de facilitar o entendimento do que a Bíblia ensina.
 
Meu objetivo aqui é ir diretamente ao texto bíblico para tentar entender o que a Bíblia diz sobre os assuntos a serem considerados. Parto do pressuposto de que a Bíblia é a autoridade final em definir aquilo em que devemos crer. Como diz Charles Hodge: “As idéias obtidas por intuição, por observação ou por experiência são válidas na teologia somente se forem sustentadas pelo ensino das Escrituras”. E nas palavras de Martinho Lutero: “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”.
 
O estudo teológico aqui, concentra-se na compilação e na sintetização das passagens bíblicas sobre um determinado assunto. Procurarei ser breve e compreensível na formulação dos conceitos e explicações. Para isso serão usados termos que não se encontram na Bíblia, mas que resumem conceitos bíblicos, como, Trindade, encarnação e divindade de Cristo.
 
Um aspecto de suma importância no estudo teológico, é a sua aplicabilidade. Nenhum estudo bíblico tem um fim em si mesmo, isolado da vida prática. Embora a teologia se refira mais ao que Deus quer que creiamos e conheçamos, não podemos ignorar o aspecto ético que está ligado mais ao que fazemos.
 
Uma pergunta que já me fizeram várias vezes é se minha igreja tem doutrina. É uma pergunta tendenciosa ou no mínimo ingênua, feita para um pastor. Geralmente quando alguém faz esse tipo de pergunta, está se referindo aos ensinos próprios de sua igreja e que são tidos como identidade daquele grupo. O que é doutrina? A palavra doutrina significa ensino. Vem de uma palavra grega que deu origem à nossa palavra didática. Na verdade toda igreja tem doutrina. Resta considerar se a doutrina é o que a Bíblia ensina sobre determinado assunto.
 
OS CRISTÃOS PRECISAM ESTUDAR TEOLOGIA
 
Será que não basta ler a Bíblia regularmente? Por que estudar teologia? Jesus falou da necessidade de ensinarmos os crentes a obedecer a tudo o que ele ordenou (Mt 28.20). Isso inclui interpretação e aplicação do Novo e Antigo Testamento. Cumprir esse mandamento de Jesus é ensinar o que a Bíblia toda nos ensina hoje. Para isso, é necessário compilar e resumir todas as passagens bíblicas sobre um assunto específico. Levaríamos muito tempo para reunir tudo o que a Bíblia diz sobre diversos assuntos. Para isso temos o trabalho de estudiosos que têm feito essas pesquisas de modo aprofundado. Nosso estudo e ensino serão mais efetivos se conhecermos todos os textos bíblicos possíveis sobre os assuntos considerados e resumirmos todo esse conhecimento. É aqui que começamos a ver a importância da teologia sistemática. Essa, portanto, é a razão básica para estudarmos teologia.
 
Além disso, o estudo da teologia nos ajudar a superar os conceitos errados, dando-nos embasamento doutrinário sobre questões polêmicas. Estudar teologia é como montar um quebra-cabeça. Quanto mais peças conseguirmos encontrar e colocar nos devidos lugares, mais fácil ficará colocar outras. Um cristão que estuda teologia se torna mais maduro, pois o ensino está relacionado com a piedade (1 Tm 6.3).

CUIDADO COM AS OBJEÇÕES
 
Vivemos numa sociedade cada vez mais cética para as verdades de Deus. Há uma crença filosófica de que não se pode chegar a conclusões finais sobre nada. É aquela idéia de que tudo é relativo e nada é absoluto. Quando estudamos teologia, devemos ousar enfrentar essas idéias e não temer fazer afirmações categóricas a partir da Bíblia – A Palavra de Deus.
 
Além de serem contrários a afirmações conclusivas sobre qualquer assunto, mesmo com base na Bíblia, muitos, no que parece ser um bom argumento, dizem que devemos estudar teologia apenas para tratar dos assuntos que a Bíblia já explicita. A questão é que a Bíblia não fala de tudo que nos envolve, nem poderia, pois muito do que nos interessa hoje, não fazia parte da vida das pessoas nos tempos bíblicos. Por exemplo: O que a Bíblia diz sobre o fumo? Nada. Porque o fumo não fazia parte daqueles dias, como é tão comum atualmente. Portanto, mesmo não tratando especificamente sobre determinados assuntos, a Bíblia tem princípios que se aplicam a tudo. O estudo da teologia se presta também a isso, ver a vida à luz dos ensinamentos da Palavra de Deus – A Bíblia.
 
DEVEMOS ESTUDAR TEOLOGIA COM RESPONSABILIDADE
 
1. Devemos estudar teologia com oração. A Palavra de Deus é discernida espiritualmente. Por isso, devemos orar pedindo a Deus que abra os nossos olhos para podermos ver as maravilhas de sua lei (1 Co 2.14; Sl 119.18). Entender a Bíblia é uma virtude espiritual que somente Deus pode nos dar (Ef 1.17-19). A qualidade de nosso estudo teológico passa pela qualidade de nossa espiritualidade, que se manifesta numa vida de dependência de Deus pela oração.
 
2. Devemos estudar teologia com humildade. A Bíblia diz que “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes” (1 Pe 5.5). À medida que aprendemos das Escrituras, devemos ter o cuidado de não nos orgulharmos, assumindo assim uma atitude de superioridade em relação àqueles que não conhecem o que temos estudado. Para evitar o orgulho, devemos associar o conhecimento ao amor (1 Co 8.1).
 
3. Devemos estudar teologia com a razão. Podemos e devemos usar nossa razão para estudar e tirar conclusões do estudo das Escrituras Sagradas, mas nunca fazer deduções que contradiga o que a própria Bíblia diz. Nossas conclusões lógicas podem muitas vezes ser errôneas, pois os pensamentos de Deus são mais altos que os nossos pensamentos (Is 55.8-9). A Bíblia é a essência da verdade, e todo o seu conteúdo é justo e permanente (Sl 119.160). Toda conclusão lógica que tivermos ao estudar teologia, deve estar em harmonia com toda a Bíblia. Caso contrário, nossa lógica está enganada, pois a Bíblia não se contradiz jamais.
 
4. Devemos estudar teologia com a ajuda de outros. Deus estabeleceu mestres na igreja (1 Co 12.28). Isso significa que devemos ler livros escritos por teólogos preparados. Conversar com outros cristãos sobre teologia é também uma excelente maneira de conhecer mais sobre Deus.
 
5. Devemos estudar teologia compilando passagens bíblicas. O uso de uma boa concordância bíblica nos ajudará a procurar palavras-chave sobre determinado assunto. Resumir versículos relevantes e estudar passagens difíceis também ajuda. É grande a alegria ao descobrir temas bíblicos. É a recompensa do próprio estudo.
 
6. Devemos estudar teologia com alegria. Não podemos estudar teologia de forma fria, pois ela trata do Deus vivo e de suas maravilhas. O estudo da Bíblia é uma maneira de amar a Deus de todo o coração (Dt 6.5), pois seus ensinamentos “dão alegria ao coração”, são grandes riquezas (Sl 19.8; 119.14). No estudo da teologia somos levados a dizer: “Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos! Quem conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Quem primeiro lhe deu, para que ele o recompense? Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém” (Rm 11.33-36).

publicado por Antonio Francisco às 04:07

link do post | comentar | favorito

7 comentários:
De Anónimo a 1 de Maio de 2007 às 21:12
Se Deus sabe de tudo desde todos os séculos e pela eternidade, não devia ter advertido quanto ao ato de fumar? O texto que explica o que é teologia erra redondamente a respeito disso, pois para dar apenas um exemplo existem indícios de que ind´´igenas fumavam na amazônia desde a pré-história. E não podemos nos esquecer do hábito de fumar ópio dos indianos e outros povos do oriente, bem anteriores ao cristianismo. Por isso a Bíblia erra em não advertir explícitamente contra o fuma.Mas como bem orienta o texto, quando nossa lógica contradiz a bíblia devemos mudar nossa lógica pois ela está errada!


De Anónimo a 1 de Maio de 2007 às 21:21
O tópico devemos estudar teologião com a razão chega a ser hilário, pois diz que podemos ter lógica desde que ela não contra diga a bíblia. Somente para termos uns poucos exemplo, vejamos um pouco da lógica da bíblia:
"É impossível que haja habitantes do outro lado da Terra, já que nada é dito a esse respeito nas Escrituras sobre os descendentes de Adão" (Santo Agostinho) "Afirmar que a Terra gira em torno do Sol é tão errado quanto dizer que Jesus não é filho de uma virgem" (Cardeal Bellarmino em 1615, durante o julgamento de Galileu)
Quem se atreveria a colocar a autoridade de Copérnico acima da do Espírito Santo?" (John Calvin, citando o Salmo 93:1 em seu "Commentary on Genesis")
"Podemos estar certos de que Deus não teria jamais permitido que crianças fossem mortas se elas já não estivessem condenadas e predestinadas à morte eterna" (John Calvin, racionalizando o assassinato de crianças no Antigo Testamento)
"Aquele que recebe a graça celestial da fé livra-se da inquietação da curiosidade" (Concílio de Trento)
"O direito a ter escravos está claramente estabelecido nas Escrituras Sagradas, tanto por preceito como pelo exemplo" (Rev. R. Furman, D.D., batista, da Carolina do Sul/EUA)"Vacinas são uma violação direta da aliança perpétua que Deus fez com Noé depois do Dilúvio [...] Vacinas nunca salvaram vidas humanas. Não evitam a varíola" ("The Golden Age" de 04/02/1931, publicado pelas Testemunhas de Jeová)
O papa Leão XII, em 1829, proibiu o uso da vacina contra a varíola: "Quem quer que recorra à vacina deixa de ser um filho de Deus. Não se pode mexer no equilíbrio do corpo humano".
"A Razão deveria ser destruída em todos os cristãos. Ela é o maior inimigo da Fé. Quem quiser ser um cristão deve arrancar os olhos de sua Razão" (Martinho Lutero)
"As palavras e atos de Deus são bem claros: as mulheres foram feitas para ser esposas ou prostitutas" (Martinho Lutero, "Works 12.94")
"O pecado não pode nos separar de Cristo, mesmo que cometamos adultério cem vezes por dia e outros tantos assassinatos" (Martinho Lutero, carta a Melanchton, 01/agosto/1521)
"Deus não salva pecadores fictícios. Seja um pecador e peque vigorosamente. ...Nem por um instante pense que esta vida é a morada da justiça. O pecado deve ser cometido" (Martinho Lutero)
"Os loucos, aleijados, cegos e mudos são homens em quem os demônios fizeram sua morada. Os médicos que curam estas enfermidades como se tivessem causas naturais são idiotas ignorantes" (Martinho Lutero)
"É impossível para o cristão e para a verdadeira igreja subsistir sem derramar sangue, pois seu adversário, o Diabo, é assassino e mentiroso. A igreja cresce e progride através do sangue: ela está banhada em sangue (M. Lutero, "Table Talk no. 1571, 1569)
"A AIDS é o justo castigo por um comportamento sexual inadequado" "Acho muito bonito que os pobres aceitem sua sorte, que a compartilhem com a paixão de Cristo. O mundo se beneficia muito do sofrimento dos pobres" "A superpopulação não é um problema, é a vontade de Deus" (Madre Teresa de Calcutá)













De isabel a 6 de Abril de 2009 às 13:13
Hilário e até infantil é publicar frases soltas de homens, muitos inclusive equivocados católicos romanos, que por muitos anos deturparam a palavra de Deus a seu bel prazer. A Palavra de Deus nada tem a ver com o que estas pessoas afirmaram e quem não for ignorante e resolver pesquisar as escrituras sagradas, estudar teologia mesmo, com seriedade verá a infalibilidade da Bíblia e de todos seus preceitos e predições. Mas é preciso compreender que o Velho Testamento tem um contexto e a Nova Aliança outro. Mas tudo faz parte de um Plano de Deus. Precisa estudar e muito para depois questionar com a "lógica" humana, que não consegue desenvolver nem 10% da sua pretensa razão superior.


De J.h.s. a 23 de Janeiro de 2011 às 18:38
parabens pelo comentario


De Celso Oliveira do Nascimento a 22 de Fevereiro de 2017 às 12:30
Certamente que todo estudo que fazemos pelo uso da bíblia é um estudo bíblico, isso em questão é que parte dos cristãos fazem, sem saber que estão realizando uma teologia bíblica. A questão é que muitos se prendem a má interpretação de uma passagem bíblica que diz: "a letra mata, mas o espírito vivifica". Esta passagem não pode ser interpretada literalmente, fora do contexto, ela precisa ser entendida como que A Lei veio para ser cumprida e por ela todos nós como pecadores estávamos mortos, mas então veio o Senhor Jesus e pagou a nossa dívida, apagou nossos pecados então por meio do Espirito Santo, o Espírito de vida agora temos vida eterna em Cristo Jesus. Visto isso já se mostra a importância da Teologia Sistemática. Que é se fazer uma exegese contextualizada com fundamento bíblico, mas apoiado no estudo da Língua Portuguesa, no conhecimento da historia, e de outras ciências, mas sempre ancorado na Bíblia.

Pr. Celso Oliveira do Nascimento (22/02/2017)


De Oiced Mocam a 18 de Janeiro de 2019 às 15:15
A Bíblia – Origem, enigmas e mistérios.

Para o cristianismo tradicional, a Bíblia é a palavra ou contém a palavra de Deus, portanto ela é mais do que apenas um bom livro “muito humano” e “completamente divino”, é a vontade de Deus com suas maravilhas para a humanidade. Para esses cristãos, nela se encontram, acima de tudo, as respostas para os problemas da humanidade e a base para princípios e normas de moral. A Bíblia para o cristão é a palavra inspirada pelo manual do próprio Deus. O “manual do fabricante”. A inacessibilidade da Bíblia entre a Antiguidade e a Idade Média resultou na criação de diversas narrativas sobre os personagens cristãos, criando acréscimos e distorções. A Igreja Católica não permitia que seus fiéis possuíssem exemplares da Bíblia, alegando que esses não teriam nunca a capacidade necessária para interpretá-la, devido à sua complexidade. Assim, afirmava que a responsabilidade das pessoas de ensinar as orientações de Deus era exclusivamente sua e seus assessores. Então, as pessoas que viveram na Idade Média eram felizes porque encontravam sentido em ilusões coletivas, sobre a vida após a morte e por acreditarem na promessa de felicidade eterna após a morte.
Os agnósticos veem a Bíblia como um livro comum, sem importância histórica e que reflete a cultura do povo que os escreveu. Os não crentes recusam qualquer origem Divina para a Bíblia e a consideram como de pouca ou de nenhuma importância na vida moderna, ainda que na generalidade se reconheça a sua importância na formação da civilização ocidental, apesar de ter origem no Médio Oriente. Dizem que a verdade, o enredo e quem ditou a voz e o estilo dos “livros sagrados” é um pouco mais complexo.
A comunidade científica religiosa tem defendido a Bíblia como um importante documento histórico, narrado na perspectiva de um povo e na sua fé religiosa. Muito da sua narrativa foi de máxima importância para a investigação e descobertas arqueológicas dos últimos séculos. A arqueologia é a única que fornece dados novos. Mas os dados existentes são permanentemente cruzados com outros documentos contemporâneos, uma vez que, a história religiosa do povo de Israel singra em função da soberania de seu povo que se diz o “escolhido” de Deus e, inclusive, manifesta essa atitude nos seus registros.
Há teólogos que descrevem a narrativa bíblica como estória, críticos literários que dizem que se trata de ficção historicizada e comentaristas históricos que concordam com muitos fundamentalistas e a classificam de história. O conceito de Deus no Antigo Testamento: é que os escritores são muitas vezes antropomórficos e antropopáticos (atribui sentimentos humanos a algo que não é humano) em suas representações de Deus, isto é, atribuem formas e sentimentos da pessoa humana a Deus.
A presença de Deus na Bíblia é descrita como uma presença pessoal, como quem os homens podem conversar, em quem devem confiar e a quem devem obedecer, pois Deus mostra-lhes sua vontade específica, e lhes faz promessas. É como uma terapia gratuita, com o aval divino, o pastor moderno vira um confessor. Psicanalista. Um cúmplice. Um psicólogo. Um oráculo. Pode ser um começo de uma longa caminhada de decepções numa busca de soluções quando a ovelha está em dificuldades e fragilizada. São cristãos, neopuritanos, conservadores, fundamentalistas que temem ser livres e gostam de ser escravizados.


De Oiced Mocam a 18 de Janeiro de 2019 às 15:19
TODA A ESCRITURA É INSPIRADA POR DEUS?
Sim. [II Tm 3:16]. Não. [I Co 7:12], [7:25]

Já os ateus acham que não se pode iludir e enganar todo mundo o tempo todo quanto a verdadeira natureza da realidade. Felicidade, paz e prosperidade pode ser encontrada aqui mesmo na Terra e não com a ajuda de seres imaginários celestiais depois da morte. Não acham que é necessário pagar dízimos a intermediários de um suposto deus, não concordam que as mulheres são inferiores, que deus proíbe a homossexualidade, que quem estudar a palavra do livro sagrado terá sucesso, que catástrofes são castigo divino por pecados cometidos. E que nem tudo na Bíblia está errado mas que a numeração das páginas está correta.

Já na primeira página, surge o primeiro enigma: dois relatos diferentes da criação do mundo.
De acordo com um deles, Deus criou o Universo em sete dias e simultaneamente o homem e a mulher; segundo o outro, porém, a criação levou apenas um dia e criou antes o homem e, a partir de sua costela, formou a mulher. O primeiro diz que Deus criou os seres em ordem progressiva: plantas, animais e pessoas; segundo o outro, a ordem foi: homem, plantas e animais. A qual relato podemos dar crédito? E a teoria da evolução, hoje aceita e comprovada pela ciência? E a ideia de que os demais animais foram criados para fornecer-nos alimentos ou que temos autoridade divina sobre eles e permissão divina para matá-los? A interpretação da Bíblia ao pé da letra impede o ensino da evolução nas escolas
“Se foi Deus quem ditou a Bíblia a algumas pessoas, como defendem os fundamentalistas, então ele é um péssimo escritor. A conclusão é da americana Valerie Tarico, psicóloga e estudiosa de religiões. Ela escreve que, se hoje em dia, Deus mandasse a Bíblia a editores, para publicação, os originais seriam devolvidos com anotações sobre as inconsistências do texto. A Bíblia tem mensagens truncadas e repetidas. Não há nenhum cuidado em se verificar a veracidade de supostos fatos. Para tornar as coisas mais complicadas, alguns deles emprestaram fragmentos de histórias e relatos anteriores que foram transmitidas via tradição oral a partir de culturas e religiões sumérias. Há muitas contradições.
Algumas passagens podem ter múltiplas interpretações porque são muitas as dúvidas sobre o que o autor quis realmente dizer. Por conta disso, há cerca de 40.000 derivações do cristianismo. Como um livro escrito por um Deus pode ser tão ruim?
Valerie Tarico ironiza ao dizer que a Bíblia, como best-seller de Jeová, deveria ter clareza e objetividade, não dando margem a confusão. Ela deveria ser mais relevante do que as obras de Shakespeare. Ter mais precisão do que os textos de Stephen Hawking. Ser mais poética do que os livros de Pablo Neruda. Etc. Como se sabe, a Bíblia, em que pese seu valor cultural, é um livro escrito e reescrito por pessoas em delírio, que acreditavam estar em missão divina, entre as quais Moisés, Mateus, Marcos, Lucas e João.
Gente que hoje estaria pregando em uma igreja ou sendo tratada em um hospício.
A psicólogo lembra que a Bíblia é uma imensa colcha de retalhos, com inserções de todo o tipo, com relatos que vêm de 800 anos antes da Era crista e 100 anos depois.
Não deveria ser levada a sério por ninguém”. (Fonte Alternet acessada em 09 de Julho de 2018 em: https://www.alternet.org/belief/why-bible-so-badly-written). Site : (https://valerietarico.com/2018/01/28/why-is-the-bible-so-badly-written/.
Os grandes “personagens” da História que chegaram no “inferno” (que existe na imaginação dos crentes) certamente tiveram direito a um “tour” pelo purgatório, perseguidos por tridentes ou arrastados nas labaredas do fogo entre um martírio e outro, antes de colocá-los no forno eterno (sem direito a ar condicionado). Afinal é o papel de Deus, quando também afirma e foi interpretada na Inquisição com sadismo e ao pé da letra: “Não permitirás que viva uma feiticeira” (Êx.22:18). Um Deus que diz:

"VEDE AGORA QUE EU, EU O SOU, E MAIS NENHUM DEUS HÁ ALÉM DE MIM; EU MATO, E EU FAÇO VIVER; EU FIRO, E EU SARO, E NINGUÉM HÁ QUE ESCAPE DA MINHA MÃO; (Dt 32:39)"

“Deus preserva todas as coisas”:
Hb 1.1-3; Ne 9.6; Sl 145.15-16; Sl 104.27-29; Mt 6.26; Mt 10.29-30.

“Deus age em todas as coisas”:
At 17.28; 1Co 15.10;


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.tags

. todas as tags

.favorito

. O que me motiva?

. "A casa caiu"

. Efatá

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds